O que fazer em Santiago, no Chile

o que fazer em santiago - Valle Nevado

Gentem!

Minha amiga-sócia-correspondente-internacional-oficial viajou de férias para o Chile e me deu a honra de ter seus textos, com várias dicas sobre o que fazer em Santiago.

o que fazer em santiago - Plaza de Armas
Plaza de Armas

O que fazer em Santiago, por Eliza Brito

O país de Pablo Neruda merece atenção especial, já que é dono de lagos, praias, vulcões, deserto. Mas, mesmo quem deseja passar uns dias apenas em Santiago e nos arredores, vai se surpreender com a quantidade de passeios maravilhosos que poderá fazer. Conheci as cidades praieiras de Valparaíso, Viña Del Mar e a bela Isla Negra; a interiorana Pomaire; a estação de esqui Valle Nevado; as vinícolas Concha y Toro e Undurraga; e a capital, Santiago. Foram sete dias de muita felicidade!

o que fazer em santiago - Patio Bella Vista
Pátio Bella Vista

Para começar por Santiago, indico a reserva de três dias, pelo menos, para a cidade. Organizada, limpa e harmonicamente localizada entre o histórico e o moderno, a capital tem mais opções para curtir o dia do que a noite. Não é barata e possui muitos shoppings, restaurantes e pontos turísticos. Para comer bem, minha sugestão é o Patio Bella Vista, que fica no bairro Bella Vista e é um complexo gastronômico que mais parece um sonho. Tem bistrô, hamburgueria, restaurante típico, wine bar, restaurante internacional… enfim, as opções são para todos os gostos. Outra sugestão é enfrentar o assédio dos garçons e almoçar no Mercado Central, que também vale ser conhecido pelo prédio histórico e pela variedade de souvenires. O Palácio de La Moneda; a casa de Pablo Neruda, La Chascona; os cerros San Cristóbal e Santa Lucía; e a Plaza de Armas são paradas obrigatórias. Nos dias pares, dá para assistir a troca de guarda, na frente do Palácio de La Moneda. No Cerro San Cristóbal, vale passar um tempo no zoológico antes de subir até a estátua da virgem. Entre os museus, destaque para o Histórico Nacional, na Plaza de Armas, e o de Belas Artes, que fica no final do parque florestal, um belo lugar para uma boa caminhada.

o que fazer em santiago - Cerro Santa Lucía
Cerro Santa Lúcia

Quem não dispensa um centro de compras, o La Costanera Center pode ser uma boa alternativa na cidade e para ficar bem hospedado na capital, o bairro de Providencia é a minha sugestão. Bastante residencial, possui restaurantes, farmácias, lanchonetes, casa de câmbio e shoppings por perto. Para quem gosta de viajar, a cidade pode ser uma ótima opção na América do Sul.

As praias chilenas

As praias do Chile são geladas, afinal, estamos falando do oceano pacífico. Conheci, ainda com doze anos de idade, as águas gélidas de lá e, a única coisa que lembrava bem do Chile, eram das pedras e do mar azul marinho. Viña del Mar é exatamente o que tinha ficado na memória: uma cidadezinha praieira, fofa e aconchegante. Por lá, vale tirar a foto básica no relógio de flores, outra com o moai da Ilha de Páscoa e aproveitar as praias.

o que fazer em santiago - Playa Acapulco - Viña del Mar
Viña del Mar

Valparaíso é uma caótica cidade portuária. Fiquei realmente triste por não ter entrado na casa de Neruda de lá, a La Sebastiana. Fui com pacote comprado no Brasil e o passeio foi muito corrido. Teria ficado mais tempo na cidade. Mas o melhor turismo de praia que pude vivenciar no Chile foi a visita à Isla Negra.

o que fazer em santiago - Moai - Viña del Mar
Moai em Viña del Mar

Localizada mais ao sul de Valparaíso, Isla Negra é uma cidadezinha litorânea onde fica a casa mais incrível de Pablo Neruda. Se eu já era apaixonada pelo escritor desde que assisti ao filme “O carteiro e o poeta”, ainda criança, essa visita consolidou o meu amor por Neruda. Inclusive, é a casa de Isla Negra que baseou a do filme. Por lá, além da vista deslumbrante do pacífico, o visitante conhece as maiores coleções do poeta, que está enterrado ali com a última esposa, Matilde Urrutia.

o que fazer em santiago - La Sebastiana - Valparaíso
La Sebastiana, em Valparaíso

Muita gente me desaconselhou a fazer os passeios litorâneos porque minha viagem foi no inverno, mas eu adorei as visitas e me arrependi de não ter reservado mais tempo para elas. Em minha opinião, os lugares merecem a atenção do visitante, independentemente da época do ano.

Neve, vinho e lápis-lázuli

As praias chilenas podem até ser encantadoras, mas, no inverno, nada como aproveitar a neve e as estações de esqui. Como fui com pacote, tinha cerca de três horas no Valle Nevado, então preferi não esquiar. A diversão custa realmente caro e, para quem nunca esquiou, menos de um dia fica apertado. Mesmo assim, vale enfrentar o frio (que me incomodou bastante por lá) pela vista e pelas fotos.

o que fazer em santiago - Valle Nevado
Valle Nevado

Pomaire foi uma cidadezinha que eu não estava contando em conhecer. Fui no dia do passeio para a Isla Negra e aproveitei para almoçar por lá. Parece com a nossa Gravatá pernambucana, cheia de lojinhas de artesanato, inclusive com joias mais baratas de lápis-lázuli, a pedra preciosa típica do país. Foi um passeio delicioso.

o que fazer em santiago - Concha y Toro
Concha y Toro

Já as vinícolas, essas foram a minha programação predileta no país de Neruda. Saí do Brasil com o pacote para a Concha y Toro, que é gigante, conta com a plantação de 26 cepas e tem uma vista linda da cordilheira dos Andes. A Undurraga é menorzinha, mas possui um passeio mais calmo e uma degustação mais completa. Enquanto na Concha y Toro provamos um vinho branco e um tinto, na Undurraga experimentamos um branco, dois tintos e um de sobremesa.

o que fazer em santiago - Undurraga
Undurraga

Não precisa nem dizer que vale a pena comprar vinhos para levar para o Brasil nas vinícolas, onde não há taxas e a bebida sai bem mais barata. Mas o que não pode mesmo é ir ao Chile e não degustar bons vinhos ou não fazer o passeio em alguma das muitas vinícolas que cortam o país.

Share Button

Deixe uma resposta