O que fazer em Playa del Carmen: dicas e roteiro no caribe mexicano

tulum e akumal - eu em tulum

Além da capital, a gente não podia deixar de conhecer o caribe mexicano, né?! Ficamos na dúvida se íamos a Cancun ou a algum lugar na riviera maya, e optamos por essa segunda. Foi uma ótima opção e vou contar tudinho o que fazer em Playa del Carmen e nos arredores, aqui nesse post. Segue meu diário de viagem.

playadelcarmen - chegada

O que fazer em Playa del Carmen: a chegada

Deixamos o nosso hostel na Cidade do México umas 7h30 para irmos ao aeroporto pegar o voo com destino a Cancún (de lá iríamos a Playa del Carmen). Viajamos pela Aeroméxico, maior cia aérea do país. A viagem durou umas duas horas e foi bem melhor que o voo da Copa. Ainda do avião vimos o que nos esperava nessa nova etapa: o azul turquesa do Caribe!
Anote: Táxi do Zócalo para o aeroporto = MXN 180.

Assim que chegamos, ainda enquanto esperávamos a bagagem, compramos nossos tickets para o ônibus da ADO, que saía logo mais para Playa Del Carmen. Os ônibus partem a cada 50 minutos do aeroporto e demos sorte porque tinha um saindo bem na hora que a gente chegou. Playa del Carmen fica a 40 km de Cancún. O trajeto até lá dura uma hora e é bem tranquilo, melhor que o avião.
Anote: preço da passagem por pessoa = MXN 120.

playadelcarmen - onibus ADO

Chegando na rodoviária de Playa, pegamos as malas e fomos andando pela 5ª Avenida até o nosso Hotel, o Barrio Latino (ainda bem que é pertinho). Essa rua é a principal da cidade e fechada para pedestres, com lojas, restaurantes e bares por todo lado. A quantidade de turista era tanta que parecia que a gente não estava mais no mesmo país. Um clima totalmente diferente do que estávamos vivenciando na Cidade do México.

playadelcarmen - rodoviaria

Aqui um parênteses sobre o hotel, para deixar a dica para vocês. O preço foi super em conta e o Bairro Latino é muito legal. A localização é perfeita, ele tem uma decoração bem simples, meio rústica, que faz parte da proposta do lugar. Cada quarto tem sua varandinha com rede, uma cama mega confortável, ar-condicionado, banheiro completo e frigobar. Ah! Tem wi-fi também, indispensável nos dias de hoje. Outra coisa que achei massa, embora não tenha usado, é que eles disponibilizam o telefone para fazer chamadas internacionais para alguns países, incluindo o Brasil, de graça. Na recepção eles também vendem passeios com um preço razoável. O café da manhã é servido numa área bem agradável, só não é dos mais completos. Se bem que eu pra ver café da manhã bom em algum lugar do mundo! Para a gente que é acostumado com as mesas fartas aqui do Brasil – em especial do Nordeste – fica difícil se contentar com pão e leite servidos lá fora.

Depois de deixar as malas no hotel, fomos andar pela cidade para conhecer e escolher um lugar para almoçar. Antes, claro, deixamos as pernocas de fora, bem à vontade, coisa que eu não podia fazer na Cidade do México, diante dos olhos curiosos dos mexicanos.

playadelcarmen - frutosdomar

Corri para colocar o pé na areia, tava louca por uma praia, aquele mar azulzão… mas a areia tava friiiia e o vento também tava um pouquinho (a gente é muito mal acostumado aqui no Nordeste com essa coisa de temperatura). Paramos para almoçar num restaurante por lá mesmo. Comemos um peixe recheado bem bonito, mas não muito saboroso. De qualquer forma, deu para perceber que eu ia amar aqueles dias de praia, comendo frutos do mar e pagando em pesos mexicanos. =D
Anote: o preço das coisas em Playa del Carmen é o dobro da Cidade do México. Então, se for para os dois lugares, deixe para fazer compras na capital.playadelcarmen - pier

Passeamos mais pela cidade, fomos até o píer, de onde saem os ferrys para Cozumel e vimos a apresentação dos Voladores, que são bem tradicionais, e que ainda não tinha visto. Frio na barriga com aquele povo rodando de cabeça pra baixo amarrado pelo pé.

playadelcarmen - voladores

À noite passeamos mais e vimos o quanto Playa é animada! Minha gente, é festa o tempo todo, em todo lugar. Tem todo tipo de boate, bar, tudo. Opção para se divertir não falta. E para comer também não. Terminamos numa pizzaria deliciosa com forno à lenha, em frente à pousada, a Romeo. #ficaadica

Depois, só nos restou aproveitar a mega cama king size do hotel e cair no sono profundo até o outro dia, quando iríamos mergulhar em Cozumel.

Um dia em Cozumel

Depois de uma noite super bem dormida, acordamos dispostos e loucos para mergulhar nas águas cristalinas de Cozumel. Tomamos café e fomos pegar o ferry até a ilha (que é a maior do México).
Anote: Ferry até Cozumel = MXN 312 por pessoa.

Há duas empresas que fazem o trajeto. Cada uma tem um barco saindo em horário diferente, o que dá mais ou menos um intervalo de meia hora entre eles. O barco é enorme, com ar-condicionado e wi-fi. Mas o legal mesmo é ficar na parte externa, aproveitando o sol e o marzão azul que o Caribe oferece.

playadelcarmen - ferry cozumel

A “viagem” dura uns 40 minutos. Ao desembarcar, há vááárias agências vendendo passeios pela ilha. O mergulho, claro, é o mais procurado. Você pode fazer com tubo ou só com a máscara e snorkel mesmo. Se você preferir, pode comprar com antecedência ainda em Playa o passeio completo numa das milhares de agências de turismo de lá, mas preferimos ir por conta própria, pois tinham nos alertado que era mais barato. Eu, como sou desconfiada com qualquer coisa, fiquei sem saber em quem confiar, se o preço estava bom, mas um senhor bem simpático veio nos vender e acabamos ficando com ele.

playadelcarmen - pés pra cima

O passeio durou umas três horas e contou com três paradas para mergulho, cada uma melhor que a outra. O valor incluiu o passeio, o equipamento e bebidas (mas essas só foram servidas no final). O grupo tinha mais ou menos umas 10 pessoas. Minha gente, a transparência da água é absurda! Houve locais em que a gente estava a 20 metros de profundidade e via perfeitamente os peixinhos passando láááááá embaixo. A sensação é deliciosa, parecia que a gente estava flutuando num outro mundo. Bom demais! Valeu cada dólar! Pena que a gente não tinha câmera para tirar fotos embaixo d’água. 🙁
Anote: mergulho em Cozumel: US$ 40 por pessoa.

playadelcarmen - mergulho cozumel

As únicas coisas não muito agradáveis do passeio foram o frio e a fome. Eu não soube ser farofeira e acabei não levando nada na bolsa para beliscar. A bebida inclusa só foi servida no fim, então até lá fiquei com a garganta “colando” de sede. E o vento batendo na volta depois de horas de mergulho tava já me congelando. Ou seja, leve toalha e um biscoitinho. Minha canga não deu vencimento e ainda chegou ensopada. Ninguém merece passar esse perrengue, né?!

playadelcarmen - mergulhando em cozumel

No fim do passeio, compramos uma foto que tiraram da gente. Meio carinha (MXN 100), mas achei válido para guardar de lembrança. Fiquei um tempinho “quarando” no sol e depois fomos andar um pouco para conhecer o centro da ilha, as lojinhas e escolher um lugar para almoçar, pois a fome me consumia. Sentamos num restaurante na praça principal, com mesinhas na rua, super legal. Depois demos uma voltinha pelo mercado de artesanato e voltamos ao píer para pegar o ferry das 16h, de volta para Playa.

playadelcarmen - centrinho de cozumel

playadelcarmen - monumento em cozumel

playadelcarmen - praça cozumel

playadelcarmen - restaurante em cozumel

Na chegada, vimos que no embarcadero vendia cases para câmera e celular, para tirar fotos subaquáticas. Ai, que raiva que deu não termos visto antes! Mas mesmo assim resolvemos investir uns pesos nisso. Afinal, ainda tinha mais uns dias de Caribe para usar e a vida toda pela frente. 😀

À noite a pedida foi a 5ª Avenida, como tem que ser. Jantamos sushi e, para terminar o dia, adoçamos o sábado com sorvete Häagen Dazs. #luxandonoCaribe

Tulum e Akumal

Esse dia já começou nos mostrando uma ótima vantagem de termos escolhido ficar em Playa del Carmen, no Caribe, ao invés de Cancún…

Reservamos o domingo para conhecer Tulum, um sítio arqueológico de uma antiga cidade Maia, e Akumal, uma praia onde se nada com tartarugas marinhas. Normalmente as pessoas que querem fazer passeios a lugares mais afastados, como estes, contratam tours. Mas lá do centro de Playa, a duas ruas do nosso hotel, saíam vans que levavam baratinho até lá. Uma mão na roda!
Anote: Van para Tulum: MXN 40 por pessoa = R$ 6,40.

tulum e akumal - vans

A primeira parada foi em Tulum, que é mais longe. Chegando lá, há um guichê de informações onde te dão um mapa, explicam direitinho como é dentro do sítio e tentam, claro, te empurrar uns passeios. Mas driblamos os guias e seguimos adiante. A entrada fica a mais ou menos 1km dali e há a opção de pegar um trenzinho para chegar. Como era baratinho, resolvemos pagar para economizar energia, porque o sol tava de rachar.
Anote: trenzinho até a entrada das ruínas: MXN 20 por pessoa = R$ 3,20.

tulum e akumal - trenzinho em tulum

Na entrada tem a bilheteria, banheiros e uma livraria onde você pode comprar água. É fundamental que faça logo seu xixi e compre alguma coisa para beber porque lá dentro não tem nada e você vai precisar mesmo se hidratar. Ah! E não esqueça de passar o filtro solar! 😉
Anote: entrada em Tulum: MXN 57 por pessoa = R$ 9,12

tulum e akumal - tulum sitio arqueologico

tulum e akumal - tulum ruina

Embora seja pequeno, o sítio arqueológico é bem legal e há lugares onde você não vai querer parar de tirar fotos, como dos pontos mais altos, onde as ruínas contrastam com o azul do mar. É lindo, lindo! Vale demais a pena fazer essa visita. Durante todo o passeio, vão surgindo a companhia das tão mexicanas iguanas. Depois de conhecer tudo, andamos em direção à praia Paraíso, que já foi eleita a quinta mais bonita do mundo. Realmente o azul do mar impressiona, parece uma piscina, mas a praia em si não é pra tanto. Aqui no Brasil tem outras muuuito mais bonitas, mesmo sem aquela cor de água. Andamos um pouco e paramos num barzinho bem legal. Aí foi botar os pés pra cima, dar aquele mergulho e encher o bucho de ceviche. #sendofinanocaribe

tulum e akumal - eu em tulum

tulum e akumal - agua cristalina

tulum e akumal - ceviche

Revigorados, caminhamos para pegar a van novamente. Dessa vez, paramos em Akumal, a praia conhecida por ser fácil encontrar tartarugas marinhas. Confesso que quando chegamos foi meio decepcionante. Tava uma farofada danada, o mar turvo, a areia feia, nem parecia que a gente estava no Caribe. Mas ali estávamos, inclusive com nossos equipamentos de mergulho, então resolvemos entrar no mar. Pagamos por um colete e deixamos nossas coisas num armário alugado no mesmo lugar.
Anote: aluguel dos coletes: MXN 100 os dois = R$ 16; aluguel do locker: MXN 60 = R$ 9,60 .

tulum e akumal - farofada em akumal

Minha gente, não demorou muito e escutei um “Namoraaada, aqui, namorada, aqui!“. Corri Nadei para ver e lá estava, tranquila, uma tartaruguinha linda, no meio de um monte de gente desesperada para encontrar uma delas. Meu Deus, babamos muito, muito! Fiquei louca, não sabia que seria tão fácil assim. Depois da primeira, vimos váárias outras, de tamanhos diferentes, chegando bem pertinho da gente. Mas nada de tocar, pode não! Eu quase não resisti, mas um guia local viu e me chamou atenção: “¡No se puede tocar, chica!”

tulum e akumal - tartaruga marinha

tulum e akumal - mergulho akumal

Saímos do mar engilhados e felizes da vida! Foi muito massa, valeu demais, mesmo com toda a farofada digna de um domingão na praia. Para fechar o dia, terminamos a noite degustando uma margarita num autêntico restaurante mexicano em Playa! =D

tulum e akumal - margarita

XPlor e Coco Bongo

Lá pelas bandas de Playa del Carmen há vários parques de aventura e natureza. Dentre os mais famosos, estão o XCaret, o Xplor e o Xel-Ha. Ouvimos falar bem de todos, cada qual com suas particularidades. Estávamos numa dúvida danada e resolvemos decidir lá mesmo para qual iríamos. A princípio, tínhamos certeza que a escolha seria pelo XCaret, o mais famoso e que mistura natureza e cultura. Depois, pensamos melhor e resolvemos optar pelo Xel-Há, que é mais focado na natureza e não tem tantas atrações culturais – que muitos comentaram serem bem fakes. Por último, acabamos indo para o Xplor, para termos uma experiência que ainda não tínhamos tido na viagem, a de aventura.

xplor - tirolesas

Compramos o tour pelo próprio hotel, pois o preço era o mesmo do site do parque, mas incluía o transporte de ida e volta. A van nos pegou umas 8h para chegarmos no parque antes que abrisse, às 9h. O passeio não foi nada barato, mas é um tipo de parque que não tem aqui, então acho que quem vai por aquelas bandas tem que quebrar o porquinho e fazer mesmo. Tá na chuva é pra se molhar, né não?!
Anote: Ingresso all inclusive com transporte para o Xplor: US$ 113.

O parque tem dois circuitos grandes de tirolesas, a mais alta com 45 metros. Eu adorei, claro, mas confesso que não senti tanto frio na barriga. Acho que porque já tinha pulado em condições mais arriscadas. Mas é bem legal! Uma vez iniciado o circuito, só dá para chegar de volta ao chão descendo por tooodas elas. Por isso é melhor que essa seja a primeira atividade do parque, já que é a mais demorada. Tem umas “tirolesinhas” no final bem pequenininhas, que são uma delícia, caem na água. Essas não fazem parte do circuito, então você pode ir várias vezes, sentado numa redinha. Vale demais!

xplor1

Depois de tanta energia gasta, hora de tirar a barriga da miséria, já que o ingresso é All Inclusive! Lá tem um restaurante enorme, com um buffet bem gostoso e super variado. Pode ir lá quantas vezes quiser. Em outro ponto do parque tem também um bar com sucos, água, refrigerantes e milk shakes, inclusos no pacote. Aproveita! 😀
Saiba: eles não servem bebida alcoólica nesse parque por medida de segurança.

xplor - camila

Outra atração massa do XPlor são os carros anfíbios. Você também pode fazer dois circuitos diferentes, então a gente se revezou na direção. Me senti uma criança feliz pilotando aquele troço. Depois fomos para os barquinhos, nos rios subterrâneos. Pense num negócio para cansar, aff! Esse não é agradável não, todo mundo “chia”, porque tem que remar com as mãos. Tinha uma velhinha lá, coitada, que fazia hoooras que não conseguia sair do canto. Teve que ser rebocada. Para fechar o dia, nadamos no rio de água gelada, mas deliciosa. O fim do circuito sai numa cachoeira de revigorar (quem não gostou muito foi o marido, que foge de água fria…)

xplor4

xplor - barquinho

Saímos de lá no finzinho da tarde, mortos. Chegamos no hotel e capotamos. Quando acordamos, fomos comer alguma coisa na 5ª Avenida e seguimos para a balada: Coco Bongo, a boate do filme O Máscara! Eu nem sou muito de badalação nesse estilo, mas não é sempre que a gente está num lugar que tem Coco Bongo, né?! Então resolvemos, mais uma vez, nos molhar na chuva e gastar mais alguns dólares para aproveitar a night! Para quem não sabe, a Coco Bongo é uma boate que tem vários espetáculos durante a noite. É incrível, vale muito a experiência! A gente nem tava esperando tanto, mas a mega produção encanta, não tem como não entrar no clima. Foram uns 15 shows, mais ou menos, com temas diversos, como Batman, Madonna, Moulin Rouge, Rihanna e até um sobre Samba e Rio de Janeiro! (ok, eles não sabem o que é samba, mas tá valendo). Saímos de lá umas 3h, felizes com a nossa segunda-feira.
Anote: Coco Bongo: US$ 65 por pessoa, com bebidas inclusas.

cocobongo placa

Cenote Azul

Cenote é uma espécie de poço bem característico do México. Esse nome vem da palavra Ts’onote, usada pelos maias, para se referir a um lugar de águas subterrâneas acessíveis. Existem vários no Caribe Mexicano, como o Dos Ojos, por exemplo, que é bem famosinho. Quando eu soube que tinha esse tipo de passeio, incluí logo no roteiro.

Como acordamos tarde depois da noitada do dia anterior, resolvemos ir para algum cenote mais perto de Playa. Pegamos o transporte coletivo e pedimos parada no Cenote Azul, que fica na beira da estrada. A gente já tinha passado por ele quando fomos a Tulum. Lá você pode alugar equipamento de mergulho, se quiser, mas nós havíamos levado os nossos.
Anote: entrada no Cenote Azul: MXN 70 por pessoa = R$ 11,20.

cenoteazul1

Na entrada, há uma recepção rústica e banheiros. Depois, fomos por uma mini trilha e chegamos. Esse não é daqueles cenotes que ficam dentro de cavernas, mas é liiindo de morrer e a água de um azul tão cristalino que tava difícil de acreditar que era natural. O que gostei de ver foi que havia gente de lá mesmo, não muitos turistas, já que quem está viajando escolhe os mais famosos. Aproveitamos o lugar por um tempo, mergulhando, pulando da pedra, queimando ao sol e aproveitando aquele visual incrível. Ai, que saudade deu agora…
Aviso: lá perto do cenote não é permitido comer, tá?! Então se tá pensando em levar lanchinho na bolsa, deixa para outra hora.

cenoteazul - entrada

cenoteazul2

Pegamos a van do outro lado da estrada, de volta para Playa del Carmen. Como era nosso último dia por lá, aproveitamos para dar uma boa caminhada na praia e almoçar num lugar que havíamos visto em nossas pesquisas, o restaurante El Pirata. Pense numa dica bem dada! O lugar é frequentado por locais, o que já é um bom sinal. O preço é legal e a comida é preparada com frutos do mar fresquinhos, pescados por lá mesmo. Uma delícia! Pedimos um prato de polvo e outro de peixe. Absurdamente bons os dois!
Anote: El Pirata fica na Rua 40, perpendicular à 5ª Avenida.

cenote azul - el pirata

O resto do dia foi para curtir a praia e aquele clima gostoso e turístico de Playa del Carmen. Vale lembrar que, para quem gosta, o lugar oferece inúmeros clubes de praia com aquelas espreguiçadeiras chiquérrimas, drinks e mais drinks. Vimos vários que pareciam legais na nossa caminhada, mas a gente queria mesmo era andar. Aproveitamos também e fomos na rodoviária comprar nossas passagens do ônibus da ADO para Cancún, no dia seguinte.

Depois desse tempo por lá, terminei o dia feliz da vida, mas com uma vontade doida de ter passado mais tempo, com mais dinheiro, para fazer mais e mais passeios. Sem dúvida, Playa del Carmen é um destino incrível e para todos os gostos.

cenoteazul - 5avenida playa

cenoteazul - playa del carmen

Obs.: considero a melhor opção ficar em Playa del Carmen não exatamente pela beleza da praia (que, apesar de ter aquele azul absurdo, não é linda), mas por ser um lugar com uma ótima infra-estrutura, mais barato que Cancún e mais bem localizado para partir para os passeios da região. E como é uma cidade menor, você lá faz tudo andando, ao contrário de Cancún. 😉

Share Button

Deixe uma resposta