Dá para aproveitar os parques de Orlando grávida?

universal2-destaque

Em maio, com pouco mais de três meses de gravidez, eu embarquei com meu marido, minha irmã e minha tia para uma viagem já planejada desde o ano passado a Orlando. Essa viagem foi toda pensada para a minha irmã, que completou sete anos e, como muitas crianças, tinha o sonho de conhecer as princesas.

Passeando-disney-epcot-grávida

Quando eu descobri a gravidez, em fevereiro, fiquei feliz da vida porque ia viajar com um tempo ótimo de gestação, então daria para comprar coisinhas pro bebê e, ainda, curtir os parques. Muita gente perguntou: mas vale a pena ir grávida? Conseguisse aproveitar alguma coisa? A resposta é: demais! Os parques de Orlando não são feitos só de atrações radicais e há muitos brinquedos incríveis para ir com crianças pequenas e com seu filhote na barriga.

Passeando-disney-grávida6

Claro que para aproveitar ao máximo você deve ter alguns cuidados básicos: usar sempre protetor solar, beber muita água, parar um pouquinho sempre que estiver cansada, levar lanchinhos na bolsa e, principalmente, ter um bom tênis! Eu deixei para comprar um desses com amortecedor lá e, no início da viagem, fiquei usando um casual. Resultado: no quinto dia minha lombar doía horrores. Foi só comprar o sapato certo que a viagem ficou muito melhor. Ou seja: se for comprar tênis lá, faça isso logo no primeiro dia. Outra coisa: como o vôo é longo, é fundamental que você, de tempos em tempos, dê uma caminhada no avião, estique as pernas, faça uns alongamentos. Algumas grávidas usam aquelas meias de compressão, mas a minha médica disse que se eu me cuidasse direitinho não precisaria. E realmente deu tudo certo. Além disso, beba água e sente no corredor, pois você provavelmente vai se levantar várias vezes para ir ao banheiro.

Passeando-disney-grávida2
Uma coisa que digo para todo mundo e que me chamou a atenção nos parques: a grande maioria dos brinquedos têm proibição para grávidas. E quando digo isso estou falando não só dos radicais ou dos que chacoalham, mas de brinquedos como um trenzinho de criança ou o cinema dos Minions, no parque da Universal. Aí realmente se eu fosse me guiar pelas plaquinhas, eu não iria em nada. Acontece que lá eles morrem de medo de processo, já que o povo usa a justiça pra tudo! Então, por qualquer coisinha, eles colocam a proibição, pois se acontecer da gestante passar mal ou ter algum problema mais grave, eles estão acobertados, já que o aviso estava lá.

Como minha barriga ainda era pequenininha, eu passava numa boa. Óbvio que eu via toda a descrição do brinquedo e, se tinha alguma dúvida se deveria ir ou não, minha tia – que é médica! – e meu marido “testavam” antes e ela me falava se eu podia ir. Uma mão na roda ter uma companhia dessas, hein?! Assim, eu consegui aproveitar MUITO todas as maravilhas que Orlando oferece. E foi bom demais!

Passeando-disney-grávida4
Claro que eu fiquei morrendo de vontade de ir nas super montanhas-russas radicais e nos simuladores incríveis que meu marido e minha tia foram. Mas foi ótimo também usar esse tempo para descansar e ficar com minha irmã, que não tinha coragem podia ir nesses brinquedos. Sem contar que me deixou doida pra voltar. Daqui a sete anos, quem sabe, eu não estou lá de novo, para curtir tudinho ao lado do meu pequeno?!

Passeando-disney-grávida3

Obs.: gente, essa foi a minha experiência e eu fui com um tempo ótimo de gestação, ainda não estava pesada e não tinha nenhum tipo de preocupação, como pressão e tal… claro que você deve consultar seu médico antes de viajar, pedir dicas e, claro, se cuidar. Cada um vai sentir de uma forma. Esse aqui foi só o meu relato. 😉

Share Button

Deixe uma resposta